Você está aqui
Home > Esportes Radicais > J-Bay Open tem Alejo, Wiggolly e Pupo vencendo a repescagem e avançando para o Round 3

J-Bay Open tem Alejo, Wiggolly e Pupo vencendo a repescagem e avançando para o Round 3

Italo Ferreira perde para Josh Kerr na terceira fase e se despede da etapa 

Foto: WSL
Foto: WSL

Por Simone Saltiel

 Apesar de ter o swell baixando, o mar ainda apresentava boas condições de surfe, com ondas de 1m, e o restante das baterias do Round 2 puderam ser concluídas nesta quinta-feira (7). Quatro baterias do Round 3 também foram realizadas.

O primeiro brasileiro a entrar no mar foi Alejo Muniz, que enfrentou o norte-americano Nat Young. Alejo teve um início de bateria bastante fraco, enquanto Nat assumia a liderança. Mas na parte final, o brasileiro conseguiu reagir, conquistando um 7,67. Logo em seguida conseguiu realizar manobras que lhe renderam um 6,60, o que foi suficiente para assumir a ponta. O americano tentou voltar ao topo, mas mesmo conseguindo uma onda longa, com manobras e floaters, não conquistou a nota que precisava e foi derrotado por Alejo. Com apenas duas ondas surfadas, o brasileiro garantiu sua vaga no Round 3, com a pontuação de 14,27 contra 12,93 de Nat Young.

Um duelo de brasileiros marcou a oitava bateria. Wiggolly Dantas e Jadson André fizeram a melhor bateria do dia. Ambos lutaram onda a onda pela vaga na terceira fase da etapa, e mostraram muita potência em suas manobras de backside. Jadson conseguiu uma direita que o levou a liderança. Mas foi nos cinco minutos finais que Guigui conseguiu um 9,50, que lhe rendeu a virada em cima de seu compatriota e a vaga no Round 3. A bateria fechou com o incrível placar de 18,27 para Wiggolly e 17,13 para Jadson André, que se despediu precocemente da etapa, mas com uma excelente última bateria realizada.

Confira aqui a bateria de Wiggolly Dantas e Jadson André

O terceiro e último brasileiro a se classificar para o Round 3 foi Miguel Pupo, que enfrentou o francês Jeremy Flores. Enquanto Pupo se mostrava calmo e concentrado, Jeremy parecia estar ansioso e um tanto quanto irritado. A cada erro que cometia, dava socos na água e na prancha, além de não concordar com as notas que recebia, mas ainda assim assumia a liderança. O brasileiro manteve a calma e o sangue frio durante todo o tempo, o que provavelmente o ajudou em sua virada. Dominou a segunda metade da bateria e conseguiu assumir a ponta, vencendo e avançando para a terceira fase. As pontuações finais ficaram em 15,67 de Miguel Pupo contra 13,44 de Jeremy Flores.

O Round 2 terminou então com oito brasileiros classificados para o Round 3: Italo Ferreira, Alejo Muniz, Gabriel Medina, Filipe Toledo, Miguel Pupo, Caio Ibelli, Wiggolly Dantas e Adriano de Souza.

O Round 3

 Terminado o Round 2, foi iniciada, logo em seguida, a terceira fase da sexta etapa do WCT. Estavam programadas seis baterias para serem realizadas nesta quinta-feira, mas por conta do forte vento que acabou com a boa formação das ondas, as duas últimas baterias do dia tiveram que ser adiadas.

Apenas um dos brasileiros classificados surfaram nesse início do terceiro round. Italo Ferreira enfrentou o australiano Josh Kerr. Os dois pegaram um momento bem ruim do mar, com muito vento, ondas menores e sem muitos tubos. Por conta disso, os aéreos foram bastante utilizados por Josh, que os tem como sua arma principal. Fez um excelente air reverse em uma de suas ondas. Italo ainda deu um gás mais para o final, fazendo boas manobras, mas não conseguiu superar o australiano, e acabou se despedindo da etapa. O brasileiro acabou a bateria com 14,20 contra 16,40 de Josh Kerr.

Faltam ainda oito baterias para o término do Round 3, e dois confrontos brasileiros marcam a rodada: Filipe Toledo x Miguel Pupo e Caio Ibelli x Wiggolly Dantas. Já Alejo Muniz, Gabriel Medina, e Adriano de Souza enfrentam os australianos Matt Wilkinson, Adam Melling e Davey Cathels, respectivamente.

Foto: WSL
Foto: WSL

Houve nesta sexta-feira (8) três tentativas de chamadas para o restante da terceira fase acontecer, mas o swell perdeu a força e acabou sendo decretado o primeiro lay day da etapa. A previsão é de que neste final de semana as condições do mar melhorem e a competição possa ser retomada de onde parou.

Então fiquem ligados, que a próxima chamada será a partir das 2h30 da madrugada deste sábado (9), pelo horário de Brasília. E vamos continuar na torcida pelo nosso Brazilian Storm!

 

Confira aqui todos os resultados do Round 2:

 Ht1. Matt Wilkinson (AUS) 8.47 x Steven Sawyer (AFS) 7.93
Ht2. John John Florence (HAV) 17.27 x Alex Ribeiro (BRA) 11.77
Ht3. Filipe Toledo (BRA)16.54 x Kai Otton (AUS) 14.34
Ht4. Adrian Buchan (AUS) 10.50 x Keanu Asing (HAV) 3.87
Ht5. Michel Bourez (TAH) 16.07 x 12.90 Ryan Callinan (AUS)
Ht6. Alejo Muniz (BRA) 14.27 x 12.93 Nat Young (EUA)
Ht7. Joel Parkinson (AUS) 15.17 x 12.17 Matt Banting (AUS)
Ht8. Wiggolly Dantas (BRA) 18.27 x 13.13 Jadson André (BRA)
Ht9. Adam Melling (AUS) 14.86 x 14.87 Conner Coffin (EUA)
Ht10. Miguel Pupo (BRA) 15.67 x 13.44 Jeremy Flores (FRA)
Ht11. Josh Kerr (AUS) 18.06 x Jack Freestone (AUS) 15.26
Ht12. Dusty Payne (HAV) 17.47 x Stuart Kennedy (AUS) 11.44

Baterias do Round 3:

Ht1: Jordy Smith (AFS) 18.20 x Kolohe Andino (EUA) 10.10
Ht2: John John Florence (HAV) 14.83 x Dusty Payne (HAV) 13.93
Ht3: Italo Ferreira (BRA) 14.20 x Josh Kerr (AUS) 16.40
Ht4: Adrian Buchan (AUS) 5.20 x Kelly Slater (EUA) 11.73
Ht5: Sebastian Zietz (HAV) x Michel Bourez (TAH)
Ht6: Matt Wilkinson (AUS) x Alejo Muniz (BRA)
Ht7: Gabriel Medina (BRA) x Adam Melling (AUS)
Ht8: Julian Wilson (AUS) x Joel Parkinson (AUS)
Ht9: Filipe Toledo (BRA) x Miguel Pupo (BRA)
Ht10: Mick Fanning (AUS) x Kanoa Igarashi (EUA)
Ht11: Caio Ibelli (BRA) x Wiggolly Dantas (BRA)
Ht12: Adriano de Souza (BRA) x Davey Cathels (AUS)

 

Deixe uma resposta

Top