Você está aqui
Home > Esportes Olímpicos > O sumiço da vara de Fabiana Murer nas Olimpíadas de Pequim

O sumiço da vara de Fabiana Murer nas Olimpíadas de Pequim

esporte.ig.com.br
Foto: esporte.ig.com.br

Por Simone Saltiel

Fabiana Murer e sua família sempre foram muito ligadas ao mundo esportivo. Ela e suas irmãs sempre praticaram algum esporte desde pequenas. Mas viu o salto com vara pela primeira vez na Olimpíada de Atlanta, em 1996, e logo pensou que devia ser uma sensação muito boa cair lá de cima. Como não conhecia muito sobre o esporte, até porque não era uma modalidade muito conhecida no Brasil na época, correu atrás de todas as informações e equipamentos necessários e foi a luta. Conseguiu um treinador e daí em diante começou a brilhar no esporte.

Fabiana é o único ouro do atletismo brasileiro em campeonatos mundiais de pista aberta. Conseguiu seu primeiro grande feito em 2007, quando conquistou medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro. Os ótimos resultados levaram a atleta ao topo do mundo. Mas foi em 2008, que, por um problema da organização dos Jogos Olímpicos de Pequim, na China, que Fabiana viu seu sonho de conquistar mais um ouro em sua carreira ir por água abaixo.

Durante a final, logo depois de executar seu primeiro salto, a brasileira notou que uma das varas que pretendia usar na tentativa seguinte havia sumido. Assim que se deu conta que sua vara não estava lá, Fabiana tentou paralisar a prova, discutiu com os árbitros e cobrou da organização que encontrassem seu equipamento, mas ninguém sabia explicar o que havia acontecido. A atleta ficou bastante irritada com a indiferença do fiscal, o que atrapalhou na sua concentração. A organização forneceu outro equipamento, mas o fato demonstrou realmente ter abalado Fabiana, que acabou errando todos os seus saltos, derrubando o sarrafo três vezes.

Com isso, a atleta, que era esperança de medalha para o Brasil, se despediu dos jogos prematuramente. A vara foi encontrada depois em um depósito, na Vila dos Atletas, mas já era tarde demais, pois as Olimpíadas já haviam terminado para Fabiana.

agoramt.com.br
Foto: agoramt.com.br

Na ocasião, a brasileira não poupou críticas: “Eles atrapalharam minha competição. A revolta é com a organização, pois foi uma desorganização. É um absurdo perder um equipamento numa prova dessas. Nunca mais volto à China”, disse bastante abalada.

Depois dessa situação inusitada, Fabiana superou o episódio e seguiu em frente. Faz parte do cenário internacional da prova junto das melhores atletas da modalidade. Ocupou posições de destaque no ranking e só cresceu a cada dia. A atleta ainda comemora a marca conquistada no Troféu Brasil de Atletismo, recentemente. Após marcar 4,87m, bateu o recorde sul-americano e assumiu a liderança do ranking mundial.

Fabiana anunciou que vai se aposentar esse ano, logo após os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, portanto, será sua última oportunidade de encerrar sua carreira subindo ao pódio

– Estou entrando na reta final da minha carreira. Vou fazer todo o possível para lutar muito para tentar uma medalha no Rio, porque sei que não será fácil. – afirmou a atleta.

Deixe uma resposta

Top