Você está aqui
Home > Esportes Radicais > Surf > Meo Rip Curl Pro Portugal já pode definir o campeão mundial de 2016

Meo Rip Curl Pro Portugal já pode definir o campeão mundial de 2016

Penúltima etapa do WCT promete boas ondas e muita emoção 

meo-rip-curl2_660x371

A janela de espera do Moe Rip Curl Pro Portugal começa nesta terça-feira, 18, e John John Florence tem chance de ser campeão mundial, antecipadamente, antes da etapa final do CT 2016. O havaiano só garante o título antecipado se chegar na final, feito que nunca conseguiu nas cinco vezes que competiu em Portugal. O brasileiro Gabriel Medina, principal concorrente de John John, precisa chegar nas quartas de final para garantir que ainda continue na disputa pelo título na última etapa no Havaí, em dezembro. Outros sete surfistas também estão matematicamente na briga, como o atual campeão mundial, o brasileiro Adriano de Souza, o também brazuca Filipe Toledo, além de Matt Wilkinson, Jordy Smith, Kelly Slater, Julian Wilson e Kolohe Andino.

As baterias do Round 1 em Peniche, Portugal, já estão definidas e conta com a entrada de dois wildcards locais, os portugueses Frederico Morais e Miguel Blanco. A expectativa é de que se tenha boas ondas, geradas por um swell provocado pelo furacão Nicole, no Oceano Atlântico Norte. Vale ressaltar que a Praia do Norte, em Nazaré, também está incluída na lista de picos onde a competição pode acontecer.

Portanto, fiquem ligados, que a primeira chamada acontece nesta terça-feira, 18, por volta das 4h da manhã, pelo horário de Brasília. E, como sempre, na torcida pelo nosso Brazilian Storm!

Entenda a matemática da briga pelo título

John John Florence e Gabriel Medina são os principais concorrentes ao título mundial de 2016 (Fotos: WSL)
John John Florence e Gabriel Medina são os principais concorrentes ao título mundial do CT 2016 (Fotos: WSL)

Os quatro primeiros colocados no ranking são os principais concorrentes ao título: John John Florence, Gabriel Medina, Matt Wilkinson e Jordy Smith. E John John já começa a derrubar adversários se passar do Round 3, ou seja, caso vença duas baterias, já acaba com as chances matemáticas dos brasileiros Adriano de Souza e Filipe Toledo, além de Kelly Slater e Julian Wilson. Se ganhar mais uma, chega nas quartas de final e também elimina Kolohe Andino, ficando só quatro na briga. Se passar para as semifinais, John John já obriga Smith a vencer a etapa para seguir com chances e Wilko também terá que estar nas semifinais, enquanto Medina ainda pode conquistar o bicampeonato mundial no Pipeline Masters se o havaiano ficar em terceiro lugar em Portugal. Chegando na final, John John Florence já pode ser campeão mundial se Medina não tiver passado da terceira fase e se Wilkinson ou Smith não vencerem o Rip Curl Pro. E com a vitória, o havaiano só não garante a conquista antecipada do seu primeiro título se Medina tiver chegado nas quartas de final, o que já teria levado a decisão para o Havaí.

Pelo regulamento da WSL, o campeão de cada etapa fatura 10 mil pontos, o vice fica com 8 mil e os terceiros colocados com 6.500. Quem chega às quartas (quinta posição) leva 5.200 pontos. Quem perde na quinta fase, (nono lugar), soma 4 mil pontos.

BATERIAS DO ROUND 1

1. Julian Wilson (AUS) x Nat Young (USA) x Kai Otton (AUS)
2. Kolohe Andino (USA) x Keanu Asing (HAW) x Alex Ribeiro (BRA)
3. Jordy Smith (ZAF) x Kanoa Igarashi (USA) x Jeremy Flores (FRA)
4. Matt Wilkinson (AUS) x Miguel Pupo (BRA) x Ryan Callinan (AUS)
5. Gabriel Medina (BRA) x Conner Coffin (USA) x Frederico Morais (PRT)
6. John John Florence (HAW) x Jadson Andre (BRA) x Miguel Blanco (PRT)
7. Filipe Toledo (BRA) x Wiggolly Dantas (BRA) x Adam Melling (AUS)
8. Kelly Slater (USA) x Stuart Kennedy (AUS) x Matt Banting (AUS)
9. Adrian Buchan (AUS) x Josh Kerr (AUS) x Alejo Muniz (BRA)
10. Adriano de Souza (BRA) x Caio Ibelli (BRA) x Jack Freestone (AUS)
11. Joel Parkinson (AUS) x Michel Bourez (PYF) x Davey Cathels (AUS)
12. Italo Ferreira (BRA) x Sebastian Zietz (HAW) x Dusty Payne (HAW)

Deixe uma resposta

Top