Você está aqui
Home > Esportes Radicais > Surf > Vai começar mais uma temporada do Circuito Mundial de Surf

Vai começar mais uma temporada do Circuito Mundial de Surf

Volta de Mick Fanning e perda de principal patrocínio são algumas das novidades para 2017 

_ID-42--5-GOL_Poster_Mens_ZW__1500x667_1

Nesta quarta-feira, 14, está previsto o início do WCT 2017, na Gold Coast, na Austrália, que tem janela aberta até o dia 25 de março. E a etapa de estreia do Circuito promete muita emoção desde as primeiras baterias, já que a onda de Snapper Rocks é incrível, com uma direita tubular e longa, que proporciona muitas manobras.

O Brasil esse ano terá 9 atletas representando a bandeira verde e amarela: Gabriel Medina, Adriano Souza, Filipe Toledo, Ítalo Ferreira, Caio Ibelli, Wiggolly Dantas e Miguel Pupo finalizaram 2016 entre os 22 primeiros do ranking mundial, garantindo um lugar na elite. Já Jadson André e Ian Gouveia conseguiram ótimos resultados no WQS e, assim, conseguiram uma das vagas na WSL desse ano. 

Alex Ribeiro e Alejo Muniz, que disputaram a temporada passada inteira na divisão principal do surfe, acabaram rebaixados para a divisão de acesso. Alex, apesar de uma ótima posição no ranking, colecionou eliminações nas primeiras fases. Já Alejo, que vinha se recuperando de uma lesão, não participou das duas primeiras etapas do ano, e isso o atrapalhou para o restante de 2016.  

Dois atletas que estavam contundidos desde 2015 estão de volta nessa temporada, Bede Durbidge e Owen Wright. Eles ficaram de fora no ano passado se recuperando e retornam esse ano como wildcards da WSL. 

Mick Fanning está de volta

Mick Fanning é o campeão da etapa de J-Bay 2016 (Foto: WSL / Kirstin Scholtz)
Mick Fanning (Foto: WSL / Kirstin Scholtz)

Após um ano sabático em 2016, quando participou de apenas cinco das onze etapas do CT, o tricampeão Mick Fanning decidiu voltar a competição esse ano. O australiano decidiu se afastar do tour após perder o irmão mais velho e quase ser atacado por um tubarão durante a etapa da África do Sul, em 2015.

– Decidi voltar à competição este ano. Foi muito importante tirar o ano de 2016 para descansar e me recompor, agora estou empolgado para voltar a competir. 2015 foi um ano bem cansativo. Muita coisa aconteceu na minha vida pessoal e profissional. Felizmente, pude tirar esse período para cuidar de mim e me afastar do tour. Participei de poucos eventos da elite e algumas etapas do Qualifying, o que acabou sendo bom, porque eu não queria prejudicar os wildcards Bede (Durbidge) e Owen (Wright) – disse Fanning, ao site oficial da WSL.

WSL perde patrocinador oficial

WSL e Samsung não são mais parceiras (Foto: Divulgação)

A Samsung, empresa da Coreia do Sul que atua na área de tecnologia da informação, patrocinou durante três anos a World Surf League (Liga Mundial de Surf).

Samsung era o patrocinador Master de todo o Circuito Mundial. Mas esse ano a palavra “Samsung” já não estará mais nas lycras dos surfistas e nem nas lonas do palanque. O vice-presidente de comunicação da WSL, Dave Prodan confirmou a informação.

– A Samsung foi uma grande parceira para a comunidade do surf nos últimos três anos, elevando o esporte a novas alturas e honrando o patrimônio da comunidade. Agradecemos por sua parceria e esperamos uma emocionante temporada em 2017. A WSL está entusiasmada com os próximos anúncios no espaço comercial”, disse Dave Prodan.

Em matéria do site norte-americano Surfline, foram citados os escândalos envolvendo funcionários da empresa com políticos da Coreia do Sul e problemas com um dos seus principais aparelhos, o Galaxy Note 7. Essas questões foram vistas pelo site como alguns dos motivos que enfraqueceram a empresa e que contribuíram para saída da Samsung do mundo do surf. Verificando outras fontes de informações, inclusive o jornalista australiano Nick Caroll, soube-se que o patrocínio da marca era em torno de 3 milhões de dólares por ano, quantia considerada pequena para um patrocinador master de todo circuito da WSL.

Fonte: Blog do Surfe

BATERIAS ROUND 1

Ht1: Michel Bourez (TAH), Conner Coffin (EUA), Jadson Andre (BRA)
Ht2: Matt Wilkinson (AUS), Stuart Kennedy (AUS), Ian Gouveia (BRA)
Ht3: Kolohe Andino (EUA), Kanoa Igarashi (EUA), Jack Freestone (AUS)
Ht4: Gabriel Medina (BRA), Wiggolly Dantas (BRA), Ezekiel Lau (HAV)
Ht5: Jordy Smith (AFS), Miguel Pupo (BRA), Nat Young (EUA)
Ht6: John John Florence (HAV), Connor O’Leary (AUS), Mikey Wright (AUS)
Ht7: Kelly Slater (EUA), Mick Fanning (AUS), Jeremy Flores (FRA)
Ht8: Julian Wilson (AUS), Caio Ibelli (BRA), Leonardo Fioravanti (ITA)
Ht9: Joel Parkinson (AUS), Italo Ferreira (BRA), Joan Duru (FRA)
Ht10: Filipe Toledo (BRA), Adrian Buchan (AUS), Frederico Morais (PRT)
Ht11: Adriano de Souza (BRA), Josh Kerr (AUS), Bede Durbidge (AUS)
Ht12: Sebastian Zietz (HAV), Owen Wright (AUS), Ethan Ewing (AUS)

Deixe uma resposta

Top