Você está aqui
Home > Esportes Radicais > Surf > Margaret River Pro vem aí!

Margaret River Pro vem aí!

Altas ondas, desfalque brasileiro e tubarões são alguns dos destaques da segunda etapa do CT 2017 

1001284_657492827616336_730216170_n

O início do CT desse ano já mostrou que o surfe é realmente uma caixinha de surpresas. O australiano Owen Wright provou que não voltou a competir de brincadeira e venceu com maestria a primeira etapa em Gold Coast, Austrália. Owen sofreu uma lesão grave em 2015, o que o deixou fora do circuito no ano passado, enquanto tentava se recuperar. Sua volta ao esporte chegou a ser dúvida, já que a lesão era bastante grave. Mas o australiano não desistiu e mostrou muita garra e força de vontade, fazendo com que voltasse as competições com louvor e exemplo de superação, deixando para trás os adversários e conquistando logo o primeiro título em sua reestreia.

Owen Wright (Foto: Kelly Cestari - WSL)
Owen Wright (Foto: Kelly Cestari – WSL)

E agora, nesta terça-feira (28), se abre a janela de espera do campeonato, que vai até o dia 09 de abril, da segunda etapa do CT em Margaret River, também na Austrália. E Owen tentará defender a tão almejada lycra amarela, que agora está em suas mãos, ocupando o primeiro lugar do ranking mundial até o momento. E a expectativa para esta etapa é grande, já que a previsão é de altas ondas logo nos primeiros dias. A primeira chamada será às 20h, pelo horário de Brasília.

Italo Ferreira (Foto: Reprodução / Instagram @italoferreira)
Italo Ferreira (Foto: Reprodução / Instagram @italoferreira)

Desfalque brasileiro

Brazilian Storm terá apenas oito surfistas em Margaret. O motivo disso é que Italo Ferreira precisa se recuperar de uma lesão no tornozelo direito, sofrida em uma sessão de “free surf” em Duranbah, ao lado de Snapper Rocks. O brasileiro ficará de fora do restante da perna australiana e tem sua volta prevista na etapa brasileira, em maio.

Com a saída de Italo, a WSL anunciou o seu substituto e as baterias da primeira fase já divulgadas foram modificadas. O atual líder no ranking do WQS, Jessé Mendes, ganhou o convite e vai competir no lugar do potiguar.

Surfe X Tubarões

Ao lado de J-Bay, a etapa é uma das mais temidas do tour, devido ao fato de haver tubarões na região. Mas, para evitar episódios como o de Mick Fanning, que escapou ileso de um ataque de tubarão na África do Sul em 2015, a WSL, mais uma vez, montou um forte esquema de segurança para os atletas.  A todo momento, cinco jet skis com sonares da linha “Shark Shiled” estarão na água, sendo um exclusivo para a proteção de cada surfista. Outro sistema visando a integridade física dos atletas será o uso de boias para detectar a presença de possíveis predadores.

Fonte: Globo.com

Baterias Round 1:

Ht1: Kelly Slater (EUA) x Mick Fanning (AUS) x Leonardo Fioravanti (ITA)
Ht2: Kolohe Andino (EUA) x Stuart Kennedy (AUS) x Ezekiel Lau (HAW)
Ht3: Matt Wilkinson (AUS) x Miguel Pupo (BRA) x Jack Freestone (AUS)
Ht4: Jordy Smith (AFS) x Kanoa Igarashi (EUA) x Nat Young (EUA)
Ht5: Gabriel Medina (BRA) Wiggolly Dantas (BRA) Jessé Mendes (BRA)
Ht6: John John Florence (HAW) x Frederico Morais (PRT) x TBD
Ht7: Owen Wright (AUS) x Connor O’Leary (AUS) x Ian Gouveia (BRA)
Ht8: Joel Parkinson (AUS) x Caio Ibelli (BRA) x Jadson Andre (BRA)
Ht9: Adriano de Souza (BRA) x Adrian Buchan (AUS) x Jeremy Flores (FRA)
Ht10: Michel Bourez (PYF) x Conner Coffin (USA) x Joan Duru (FRA)
Ht11: Julian WIlson (AUS) x Josh Kerr (AUS) x Bede Durbidge (AUS)
Ht12: Filipe Toledo (BRA) x Sebastian Zietz (HAW) x Ethan Ewing (AUS)

 

 

Deixe uma resposta

Top