Você está aqui
Home > Esportes Radicais > Surf > Gabriel Medina chega ao Havaí sonhando com o bicampeonato

Gabriel Medina chega ao Havaí sonhando com o bicampeonato

Atual vice-líder do ranking mundial, o brasileiro vê de perto a chance de mais um título 

Medina após conquistar seu 1º título mundial de surfe em Pipeline, Havaí (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
Gabriel Medina, em 2014,  após conquistar seu 1º título mundial de surfe em Pipeline, Havaí (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

Nesta sexta-feira, 08 de dezembro, está aberta a janela da última e decisiva etapa do CT de surf 2017. Pipeline promete e tem brasileiro na disputa direta pelo título mundial!

Nem ele mesmo poderia acreditar tanto nessa possibilidade no início da temporada, mas Gabriel Medina não só ‘renasceu’ nas últimas etapas, como chega ao Havaí com chances reais de ser bicampeão do mundial de surfe. O brasileiro, que começou o tour com uma atuação mediana, completou com perfeição a perna europeia após vencer duas etapas seguidas, França e Portugal consecutivamente. Com isso, ele deu uma arrancada histórica, subindo da sétima colocação do ranking mundial para a segunda, ficando atrás apenas do atual campeão John John Florence.

Animado, focado, concentrado e seguro são as palavras que definem Medina nesse momento de decisão. O surfista vem se dedicando bastante desde que acabou a etapa de Portugal, se dividindo entre os treinos físicos, coordenados por Allan Menache, e o surfe, com orientação do pai e técnico, Charles Saldanha.

Mas, apesar das chances, Gabriel não depende apenas de si mesmo para ser campeão. Na disputa pelo título temos quatro surfistas com chances matemáticas: além de Gabriel (2º) e o havaiano John John (1º), temos ainda o sul-africano Jordy Smith (3º) e o australiano Julian Wilson (4º). Esses dois últimos, porém, precisam de uma combinação grande de resultados. Medina precisa chegar, ao menos, nas quartas de final para ter chances de título. Já o havaiano garante seu caneco com um vice.

Medina está confiante na conquista do bicampeonato mundial (Reprodução / Facebook)
Medina está confiante na conquista do bicampeonato mundial (Reprodução / Facebook)

A vantagem ainda é de John John Florence, mas nada é impossível. E, mesmo com toda essa matemática, o brasileiro está bastante confiante com o sonho do bicampeonato:

– Talvez seja a etapa mais importante da minha vida. Então vou fazer tudo, me preparar e chegar 100%. Estou vivaço nesse campeonato e vamos para cima. Vamos surfar e, se Deus quiser, conseguir mais um título para o Brasil. O título continua em aberto. Eu acredito até o final. – disse Gabriel Medina em entrevista.

Nós também acreditamos em você, Gabriel! Vai com tudo e mostra que o Brazilian Storm está cada vez mais dentro da competição!

 

 

 

Entenda melhor os cenários que Gabriel Medina precisa para ser campeão mundial em 2017:

  • Se Medina vencer a etapa de Pipeline, John John pode chegar, no máximo, em 3º.
  • Se Medina ficar em 2º, John John pode chegar, no máximo, em 9º.
  • Se Medina ficar em 3º, John John pode chegar, no máximo, em 13º e Jordy Smith não pode vencer a etapa.
  • Se Medina ficar em 5º, John John pode chegar, no máximo, em 13º e Jordy Smith e Julian Wilson não podem vencer a etapa.

Confira o top 10 do ranking mundial de 2017:

1. John John Florence (HAV) – 53.350 pontos
2. Gabriel Medina (BRA) – 50.250 
3. Jordy Smith (ASF) – 47.600
4. Julian Wilson (AUS) – 45.200
5. Owen Wright (AUS) – 39.850
6. Matt Wilkinson (AUS) – 39.450
7. Adriano de Souza (BRA) – 36.600 
8. Kolohe Andino (EUA) – 36.000
9. Filipe Toledo (BRA) – 35.450 
10. Sebastian Zietz (HAV) – 34.450

Deixe uma resposta

Top