Você está aqui
Home > Esportes Olímpicos > Italo e Medina acirram disputa pelo título mundial

Italo e Medina acirram disputa pelo título mundial

Os dois brasileiros ainda garantiram a classificação para as Olimpíadas de 2020

Italo Ferreira é um dos favoritos ao título esse ano. (Foto: Kelly Cestari / WSL)

Dos cinco concorrentes ao título, dois deram adeus à disputa e o troféu de campeão mundial de surfe tem tudo para ficar novamente com um atleta brasileiro. Italo Ferreira e Gabriel Medina são os representantes nacionais com chances matemáticas na etapa de Pipeline, última etapa do CT, no Havaí. O terceiro candidato ao título é o americano Kolohe Andino, mas que só será campeão com uma combinação de resultados.

Na última terça-feira (10), os brasileiros avançaram para as oitavas de final, confirmando o favoritismo. Já o brasileiro Filipe Toledo e o sul-africano Jordy Smith foram eliminados na terceira fase da disputa e não terão chance na conquista do título.

Logo na primeira bateria das oitavas, Italo vai enfrentar o também brasileiro Peterson Crisanto. Se o potiguar avançar, ele tira Kolohe da briga pelo título mundial. Já Peterson precisa da vitória para garantir 100% a reclassificação para a elite em 2020.

Na quinta bateria, Medina terá um reencontro com Caio Ibelli. O último duelo entre os brasileiros foi marcado por uma interferência polêmica, que acabou tirando Gabriel da etapa de Portugal e adiando o sonho do tricampeonato para Pipeline. Medina tem que vencer o confronto para seguir com chances do título. Já Caio está garantido na elite em 2020 e tem como grande motivação buscar um título inédito em Pipeline.

Já Kolohe Andino enfrenta o francês Michel Bourez na última bateria das oitavas e pode entrar na disputa já sem chances de título, se o Ítalo vencer sua bateria.

A próxima chamada para o reinício das competições será nesta segunda-feira (16), às 14h30, pelo horário de Brasília.

VEJA OS CENÁRIOS DO TÍTULO MUNDIAL DE SURF:

  • Se Ítalo vencer a etapa de Pipeline, ele é campeão mundial
  • Se Ítalo ficar em 2º, Medina precisa vencer a etapa para ser campeão mundial
  • Se Ítalo ficar em 3º, Medina precisa ficar em 2º para ser campeão mundial
  • Se Ítalo ficar em 5º, Medina precisa ficar em 3º
  • Se Ítalo ficar em 9º, Medina precisa ficar em 5º ou Kolohe precisa vencer a etapa para ser campeão mundial

Tóquio 2020

Medina recebe bandeira simbólica da classificação para Tóquio 2020 com a mensagem: “Se esforce!”. (Foto: Gustavo Marcolini)

Gabriel Medina e Ítalo Ferreira, na classificação para as oitavas de final em Pipeline, no Havaí, garantiram também suas vagas para as Olimpíadas de Tóquio em 2020. Os dois lideram o ranking mundial e disputavam com outro brasileiro, Filipe Toledo, quarto no ranking, as vagas olímpicas, já que cada país só pode classificar, no máximo, dois atletas homens. Com Toledo eliminado na terceira fase do CT, ele não consegue mais alcançar Medina, o segundo no ranking, ou Italo, que está na liderança. Os dois vão se juntar a Tatiana Weston-Webb e Silvana Lima, que garantiram a classificação pelo CT Feminino.

– Deu tudo certo! Ainda tenho um longo caminho para o meu objetivo de ser campeão mundial. Mas fico feliz de poder representar o meu país e ter essa chance de participar das Olimpíadas pela primeira vez. Tenho certeza que o Brasil está bem representado, temos grandes chances de medalha. E espero que a gente possa fazer um bom trabalho e trazer uma medalha para o Brasil, especialmente a de ouro – disse Ítalo.

Enquanto Ítalo recebeu a confirmação da classificação quando já estava em casa, Medina teve a oportunidade de ser anunciado oficialmente como representante do Brasil após avançar para as oitavas em Pipeline e ainda recebeu da WSL uma bandeira simbólica da classificação olímpica com a mensagem “Se esforce” sobre um desenho dele comemorando uma vitória.

– O nosso esporte acabou de entrar nas Olimpíadas e era algo muito importante pra gente. Vai ser uma honra poder representar o nosso país com o Ítalo, que está surfando muito. Era algo que eu queria muito e a disputa estava difícil com mais dois brasileiros. O surfe no Brasil está vivendo um grande momento, e fico feliz de fazer parte desta história – comemorou Medina.

Deixe uma resposta

Top